pular navegação

Os professores e especialistas do Distrito Escolar Municipal de Provo são nossos inovadores. Eles são inovadores, companheiros e cuidadores. A Fundação do Distrito Escolar da Cidade de Provo quer reconhecer e apoiar seus esforços para tornar nossas escolas um lugar melhor.

A Fundação concede minissubsídios a professores distritais merecedores todos os anos. Para receber o subsídio, os professores devem enviar uma inscrição de duas páginas detalhando o conceito de um projeto inovador para sua sala de aula ou escola. Depois de receber o formulário preenchido, o Comitê de Seleção da Fundação do Distrito Escolar de Provo escolhe os beneficiários do minissubsídio para o ano.

É um processo que não é exigido dos professores, mas a cada ano, muitos fazem um esforço extra por seus alunos.

Este ano, estamos conversando com alguns professores que receberam mini-grants para perguntar sobre a necessidade percebida em suas salas de aula, o produto do mini-grant, o impacto do mini-grant na sala de aula e, por fim, conselhos para professores novos e com dificuldades sobre como diferenciar e ampliar o aprendizado em suas salas de aula.

Esta semana, conversamos com o professor de arte da Dixon Middle School, Jake Gilmore, sobre sua nova impressora 3D. Durante todo o ano, os alunos trabalharam com esculturas, incluindo uma unidade sobre escultura digital, um dos principais elementos das artes. Embora os alunos tenham se concentrado em uma abordagem baseada em projetos para concluir um design 3D, o projeto precisava de mais finalidade e tangibilidade. Com a nova impressora, os alunos podem ver seus projetos sonhados tomarem forma em tempo real. Leia nossa conversa abaixo para saber mais sobre o efeito de sua miniconcessão e conselhos para outros novos professores que desejam ampliar ou diferenciar o aprendizado em suas salas de aula.

———–

P: Qual foi o problema da classe ou onde você percebeu uma necessidade?

R: As crianças nas aulas de escultura trabalharam em esculturas digitais, mas uma grande parte da escultura digital é o planejamento do que ela pode ser na realidade. Com a possibilidade de imprimir uma escultura, elas podem testá-la e executá-la corretamente. 

E eles gostam de ver seus projetos, mas segurar sua escultura, na realidade, é uma coisa totalmente diferente. Eles ficam com o arquivo digital para que possam imprimi-lo também, e eu também imprimo uma cópia no final do projeto.

P: O que é necessário para o design e a escultura digital?

R: Há muito planejamento e foco nos detalhes para que o trabalho saia com clareza na impressora. Também tenho que levar o arquivo de cada criança para um programa de fatiamento - há um gratuito, então conseguimos fazer isso funcionar.

P: Que conselho você daria aos novos professores que desejam ampliar o aprendizado em sala de aula, como você fez?

R: Não subestime as crianças. Eu faço esculturas digitais profissionalmente e, como professor do primeiro ano, não presumi que eles pudessem realizar projetos como esses. Esses projetos são de alto nível e requerem habilidades usadas por profissionais do setor em engenharia, videogames, filmes e muito mais - na verdade, é uma das melhores habilidades que você pode adquirir nas aulas de arte também - mas essas crianças fazem isso todos os dias. Não subestime seus alunos.

E se você tiver uma visão ou ideia, faça uma pesquisa para encontrar o que precisa. Não subestime o que está disponível para você. Você pode encontrar alternativas baratas on-line. E não tivemos que gastar pouco com nossa impressora; as crianças têm algumas ferramentas incríveis para usar aqui. Eu não imaginava que teria as ferramentas para ensinar escultura digital com iPads e uma impressora 3D, mas aqui estamos.

Spencer Tuinei
  • Especialista em comunicação
  • Spencer Tuinei

Provo CAPS Spring Showcase, uma noite de apresentações de projetos baseados em clientes concluídos pelo CAPS...

pt_BRPortuguês do Brasil